quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Morte

A morte é para o Alexandre o desconhecido, sabe que existe, ouve a palavra, brinca com ela com o desprendimento de quem nunca passou pela dolorosa experiência de perder alguém.

Sexta feira o avô do meu marido faleceu, o bisa que o Xani tanto gostava nunca mais vai fazer parte da sua vida.

Passou o fim de semana na minha mãe para o protegermos do mundo, falámos eu e o pai de o preparar com amor e carinho para a perda, a dor, embora com a certeza de que não seria capaz de entender, pois a experiência dizia-nos que o desapego perante a palavra era total.

Domingo à noite, no aconchego da cama falámos-lhe com o coração nas mãos dissemos que o bisa tinha tido um doí doí grande e que tinha ido para o céu, a resposta foi cruel:

-"Foi para o cemitério. Agora vai andar assim" - e curvou-se sobre si mesmo.

Continuamos a falar-lhe e explicámos que o avô tinha ido para o céu e que não voltava, que seria para sempre uma estrela na vida dele e que o iria guiar, ser o seu anjo da guarda.

Nesse momento a cara dele fechou-se, e desatou num pranto, dizendo que queria o bisa por perto, que no domingo anterior tinha estado a comer castanhas com ele e que se tinha esquecido de lhe desejar as melhoras na altura da saída, e que o queria na casa dele de sempre, que não precisava dele no céu mas por perto.

Chorou durante uma hora, e quando acalmou disse que ia dormir muito triste, nem durante a noite se esqueceu, pois acordou a dizer que estava a acordar muito triste e que tinha saudades do avô.

Disse também que ia fazer um desenho só para o bisa e que o atiraria ao céu para ir ter com ele.

Por vezes, e exactamente nas alturas em que menos esperamos e nas que desejamos que não aconteça, as crianças surpreendem e entendem bem demais o que lhes queremos explicar.

6 comentários:

Jane Gatti disse...

Muito suave e delicado o seu texto sobre a morte. Muitas vezes, ao tentarmos proteger os nossos pequenos, eles nos surpreendem com seus comentários.
Gostei da idéia do registro do crescimento do seu bebê, mais que um álbum de fotos,e um álbum de vida, de sensações e de carinho.
De longe, do outro lado do Atlântico, espero acompanhar o crescimento e as aventuras desse garoto! Beijos do Brasil

Gata2000 disse...

Jane Gatti - Obrigada pelos elogios.
É o meu registo do crescimento dele sim,porque um dia mais tarde sei que me vou esquecer dos pormenores, e são esses que fazem a diferença, assim tenho a certeza que vou ter tudo documentado :)

Beijinhos

TM disse...

O Xani é um menino muito inteligente e com um coração grande... até porque os avós são sempre aquelas pessoas que guardamos no coração...

PS: Lamento muito.... :(

Gata2000 disse...

TM - e com uma sensibilidade tamanha que me faz temer pelo futuro dele, vai sofrer muito o meu filho, mas antes pelo coração que pela falta dele.

Maria disse...

:( beijinho grande aos dois

E continuas de parabéns. Quando nascer de novo, quero uma mãe assim.

Gata2000 disse...

Maria - E eu gostava de ter uma amiga como tu :) pena que estejas tão longe.