quinta-feira, 2 de abril de 2009

Fugir


Ontem, estávamos nós na garagem a caminho dos nossos "trabalhos" quando ao dirigir-me para o carro, o Alexandre decidiu dirigir-se na direcção oposta para o portão da garagem que ele tanto gosta de abrir, mas que aquela hora, nos dias de semana abre dentro do carro.

Eu continuei a ir para o carro e disse-lhe anda que senão eu vou-me embora e deixo-te aqui. Ele lá continuou a caminho do portão, enquanto isso eu fui pondo o carro a trabalhar.

O puto desata num berreiro que metia dó, achou que eu me ia embora e que o deixava sozinho, fiquei tão arrependida, coitadinho do meu pirralho, o susto que ele apanhou!

Á noite quando cheguei a casa ele estava a dormir na minha cama, aproveitei para matar as saudades, cheirei-lhe a cabecinha de aroma doce a bebé e shampoo, o pescoço e o corpinho, que misturavam o suor com o cheiro da roupa lavada- nada se compara ao cheiro dos nossos filhos - o calor que emanava aqueceu-me a alma, dei-lhe tantos beijinhos e fiz-lhe tantas festinhas que carreguei baterias para o resto da semana, vai ser certamente uma semana de energias positivas!

Hoje de manhã, quando ele acordou, fui buscá-lo, peguei-lhe ao colo mito agarradinhos e pedi-lhe desculpa por o ter assustado e levado a pensar que o ia abandonar, disse-lhe que nunca o iria deixar sozinho, que ia estar sempre lá para quando ele precisasse de mim.

2 comentários:

Who Am I disse...

Xani,

a tua mamã é o amor que tem por ti, sabes não sabes?

beijinho

Gata2000 disse...

WAI - Ele é a luz ao fundo do túnel, sim.