sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Hoje de manhã o Alexandre pediu ao pai para ir fazer xixi.
- Papá, papá, a minha pilinha está grande!
Passado um pouco viu-me dirigir para a casa de banho, e perguntou-me:
- Vais fazer xixi?
- Sim, vou.
- E a tua pilinha está grande?

Iluminação para a minha cabecinha se faz favor! Se ele começar a fazer perguntas incómodas já, vou precisar de muita inspiração. Desta vez dizer-lhe que não tenho pilinha foi fácil, mas o que me reserva o futuro!?

6 comentários:

TM disse...

Não é fantástico como os putos nos conseguem deixar sem palavras... ou pelo menos sem as palavras para nos "safarmos" às suas perguntas...

spritof disse...

a verdade?
...de uma forma simples e natural.

Gata2000 disse...

TM - e esta pergunta nem foi dificil de respoder, que ele por enaunto contenta-se com "amor, a mamã não tem pilinha", só me engasguei porque não estava à espera.

Gata2000 disse...

spritof - eu sei que a verdade é a melhor forma, mas que me vai custar, vai. é apenas a minha primeira vez, lá vou ter de me recordar a historia da sementinha que a minha mãe inventou, e que resultou muito bem durante alguns anos.

num relance disse...

o futuro reserva-te coisas boas

a minha filha com 4 anos perguntou-me como é que os bebés se faziam, estávamos a ir para casa, ela sentada na cadeirinha atrás no carro, e o caminho pela auto-estrada até casa, foi o tempo de lhe ir explicando e de ela fazer perguntas complementares

eu: - O pai mete uma sementinha na mãe.
ela: - como é que isso é feito?
- a pilinha do pai entra no pipi da mãe e põe lá a sementinha depois o bebé começa a crescer.
- e como é que sai?
- sai pelo pipi da mãe.
- mas o bebé é grande! como é que sai?!
- se tu pegares num elástico ele alarga, não é?
- é!
- o pipi da mãe é parecido com um elástico, alarga e o bebé passa.
- ah pois é!

respondi com a naturalidade que a condução me deixou, que das perguntas já estava mais ou menos à espera, só não lhe sabia os encadeados nem o nível de detalhe! contei à mãe (hoje ex) e ela a dizer que não teria coragem... eu acho que se deve ser o mais natural possível; não gostei como me contaram a mim... jurei que havia de ser o mais natural possível

a minha filha achou tudo natural, reagiu lindamente às respostas, só lhe respondi na medida em que perguntou

no infantário é que, uns tempos depois aconteceu uma coisa gira

uma das amigas dela pergunta "como aparecem os bebés" durante uma aula, a minha filha diz que sabe e explica tim-tim por tintim o que sabe

os colegas não reagiram mal, quem reagiu mal foi a professora

depois expliquei à minha filha que ela sabia mias que os adultos, e que havia adultos que ainda não encaravam bem estas coisas dos bebés; percebeu; perguntou:

- por exemplo os avós?
- sim por exemplo os avós...
- ok

e foi assim, nunca contou a história dos bebés aos avós porque sabia que iam ficar chocados, mas ela sabia como os bebés apareciam
:-)

Gata2000 disse...

A minha mãe contou-me a historia mais ou menos assim, e sem qualquer stress eu sosseguei e percebi, mas curiosamente também nunca cometei muito o facto de saber.